O hipotireoidismo em cães é a diminuição dos níveis de hormônio da tireoide, quer por falta de produção ou liberação do hormônio.

O hormônio da tiroide está envolvido em muitas funções corporais e está principalmente associada com a ativação do metabolismo, para que os pacientes têm hipotireoidismo possui uma baixa taxa metabólica e entre os sinais mais comuns incluem a obesidade, fraca atividade, letargia, problemas de pele, como recorrentes áreas com calvície, pigmentação anormal da pele, cabelos secos e quebradiços, descamação da pele, etc., tudo isso o mais facilmente identificado pelo tutor. No entanto, surgem frequentemente problemas como a infertilidade, que se estende entre pouco ou nenhuma produção de espermatozoides, problemas cardíacos, fraqueza muscular, entre outros.

Tipos de hipotireoidismo em cães:
Existem três tipos de hipotireoidismo em cães, sendo que o mais comum é o dano primário, que consiste na glândula da tiroide quando sofre má formação, doença, ou a atrofia do tumor. Causando inadequada ou nenhuma produção de hormônios da tireoide.

Predisposição de hipotireoidismo em cães:
Todos os cães podem ter hipotireoidismo, no entanto, é em cães com idade entre 4 e 10 anos em média, que surgem mais recorrências. Raças que estão predispostos a ter hipotireoidismo mais frequentemente são: golden retriever, labrador retriever, doberman, setter irlandês, grandes dinamarqueses, Airedale Terrier, Inglês velho Sheepdog, dachshund, schnauzer miniatura, cocker spaniel, poodle e boxer.

Como diagnosticar o hipotireoidismo em cães:
O diagnóstico de hipotireoidismo é feito através do muco nasal, exame físico na prática é complementada por testes de laboratório que são constituídos por um perfil químico completo e medir os níveis de hormônio T4 e TSH. Na maioria dos cães com hipotireoidismo T4 níveis baixos e aumento de TSH estão presentes, no entanto, existem exames onde o muco nasal de paciente apresenta o hipotireoidismo com níveis de T4 e TSH normais, nesse caso então, esses cães são candidatos à medicação e com bom prognóstico.

Tratamento do hipotireoidismo em cães:
O tratamento consiste em proporcionar ao paciente por meio de pílulas de hormônio tireoidiano sintético, que são inicialmente dosado de acordo com o peso do paciente e, em seguida, deve manter um acompanhamento constante para fazer ajustes na sua dose, uma vez que o tratamento é por toda vida. Se feito corretamente e de forma controlada, com acompanhamento cuidadoso do paciente pelo veterinário, as respostas quando ao tratamento irão ocorre rapidamente e qualidade de vida irá melhora rapidamente.

Os pacientes com hipotireoidismo confirmado e que não receberem o tratamento adequado, têm um prognóstico muito ruim, porque acabam sofrendo facilmente de problemas cardiovascular, renal (doença renal) e por problemas com excesso de peso e pele.